Assim como nós temos a tendência de nos “espelhar” no ambiente que convivemos, como somos fruto do meio, a crença em um ser místico nada mais é que uma questão cultural, apenas absorvemos o que no começo vazia “sentido” para nossa sobrevivência.

Em nosso cotidiano, passamos boa parte dele absorvendo experiências para que nos tornemos cada vez mais “perfeitos”, aptos no que aplicamos, no trabalho, vida amorosa, familiar etc.

E assim como acordamos certo dia e vemos que tudo em que acreditamos foi “implantado” em nós, nem sempre fica na memória o primeiro ato que nos levou ao ceticismo, que para nós na época faziam ou pensávamos que faziam bem.

Acredito seriamente que o ceticismo com as religiões tem relação direta com o conhecimento físico do mundo. Quando sabemos que o universo está em expansão, e que as espécies que vivem em nosso planeta estão em constante evolução e que somos frutos dela, nos deparamos com a realidade de que não somos nada de “especiais” e que a crença que dizia que somos criados à imagem e semelhança de um ser divino é mais que uma farsa, vivemos no instante a “idade da razão” em que os horizontes se ampliam.

A sensação é de total “desgosto” com o mundo, pois as pessoas que mais amamos nos “induziram” a essa mentira, depois o fato de que elas ainda estão presas às grades da fé irracional.

Assim como ocorreu com conosco, a busca pela razão, às vezes sem querer, encontramos o ateísmo como fuga de uma sociedade repleta de dogmas que extravasam o entendimento racional e que querendo ou não, é letal ao progresso do ser humano em si e da ciência,

Digo ciência, pois os grupos que pregam ferozmente as suas doutrinas combatem diretamente o conhecimento cientifico e nos fazem refém do tempo para avanços em diversas áreas, como a medicina. Vide células-tronco.

Mas o ponto a que pretendo chegar é: como podemos mudar essa realidade tão sombria que é a sociedade impondo seus costumes e crenças irracionais em nós? Como podemos assegurar que os lideres religiosos não interfiram em nossas vidas diretamente como foi até agora? Como passar a sensação, o momento de deslumbre da virada de religioso a ateísta nas pessoas para que elas vejam a realidade?

Histórias como Jonas e a baleia, serpente que fala, virgem que gerou um filho sem pai biológico, arca que abrigou todas as espécies de animais, plantas para um dilúvio global, entre tantas histórias que não tem lógica e muito menos evidência alguma, são absorvidas com tanta facilidade por eles. Isso porque estou restrito apenas aos dogmas cristãos, não citei as vaquinhas sagradas, Maomé subindo aos céus com um cavalo alado, chakras, encarnações, e toda turma dos três porquinhos e nenhum lobo “cumendo” a vovozinha, até porque, fazendo isso o lobo estaria pecando (não pode antes do casamento).

Realmente não há nada de engraçado nisso tudo, tudo uma distorção de valores, idéias e realidade, como pode serem apresentadas evidências claras de evolução das espécies, uma terra de mais de 4 bilhões de anos, e toda gama de informações cientificas disponível em todo tipo de veiculo informativo, e eles ainda acreditarem nessas lendas que não tem coerência alguma?

E o pior, impor isso aos que pensam o diferente.

Se o “universo” religioso ficasse nesse circulo de historinhas engraçadas e sem sentido eu não teria escrito esse artigo, mas por conselhos divinos como este:

“ Deuteronômio 13: 6 - Quando te incitar teu irmão, filho da tua mãe, ou teu filho, ou tua filha, ou a mulher do teu seio, ou teu amigo, que te é como a tua alma, dizendo-te em segredo: Vamos, e sirvamos a outros deuses que não conheceste, nem tu nem teus pais; 7 - Dentre os deuses dos povos que estão em redor de vós, perto ou longe de ti, desde uma extremidade da terra até à outra extremidade; 8 - Não consentirás com ele, nem o ouvirás; nem o teu olho o poupará, nem terás piedade dele, nem o esconderás; 9 - Mas certamente o matarás; a tua mão será a primeira contra ele, para o matar; e depois a mão de todo o povo. 10 - E o apedrejarás, até que morra, pois te procurou apartar do SENHOR teu Deus, que te tirou da terra do Egito, da casa da servidão; 11 - Para que todo o Israel o ouça e o tema, e não torne a fazer semelhante maldade no meio de ti.”


Visto que milhões de pessoas acreditam fielmente que esse livro dito sagrado é um exemplo de moralidade.

Alguns são realmente difíceis de compreender o mundo físico, formulas, paradoxos e pensamento lógico, parece que é bloqueado pela mente de quem acredita em um mundo espiritual, outros conseguem (por incrível que pareça) “conciliar” a fé e ciência, pois nesse caso, há uma pitada (ironia mode on) de distorção de um dos lados para que se possa manter tanto um quanto outro.

Há também a questão da metodologia empregada, se alguém quer mostrar os benefícios do ateísmo e a dissonância das religiões, tem que ter no mínimo paciência com a limitação alheia, seria presunção nossa achar que com um dia de conversa as pessoas mudariam seu ponto de vista que viveram por anos, e a forma como é passada também é um fator importante, educação é tudo, assim como detestamos religiosos fundamentalistas que já dizem de antemão, “Você está errado” ou “Você vai pagar caro por dizer isso”, deve ser muito enfadonho escutar um ateu “irritadiço” que não argumenta, mas denigre a imagem do religioso em si. O alvo é a religião, não os religiosos, mas acabando com o primeiro o segundo será gradativamente extinto.

Educação,

O ponto-chave para o entendimento seria a educação, é fato que quanto mais instruído nós somos, mais distantes ficamos das crenças religiosas. Não que haja ateus com grau de instrução mínima ou mesmo nenhuma, ou religiosos como PHD em qualquer coisa, mas que quanto maior o grau de instrução, maiores meios temos de fontes de pesquisa, mais pessoas conhecemos, mais pontos de vista, mais senso crítico e de certa forma, mais condições financeiras para buscar as informações.

Talvez para nossa época, haja alguns milhares que estejam em cima do muro e faltando pouco para assumir a postura de ateu, ou mesmo haja menos ainda aqueles de religiosos a ateus passem.

Pode ser que possamos ajudar algumas pessoas, no mínimo as que mais amamos, nossa família amigos...e que as próximas gerações não tenham que passar, ou mesmo nem precisem lembrar que a sociedade pregou idéias e valores tão distorcidos.

Exibições: 9

Respostas a este tópico

Bruno,

Disse com relação ao entendimento de como "passar" de forma amigavel, racionalmente o ateismo. Sobre o "de religiosos a ateus passem" no contexto diz, que "pode" ser que no mundo há menos pessoas religiosas que poderiam encarar o mundo racionalmente. Particupamente penso que há uma pequena parcela que poderia mudar sua forma de pensar, e entender que a religião é uma corrente que prende o desenvolvimento humano.

RSS

Support Atheist Nexus

Donate Today

Donate

 

Help Nexus When You Buy From Amazon

Amazon

AJY

 

Latest Activity

© 2014   Atheist Nexus. All rights reserved. Admin: Richard Haynes.

Badges  |  Report an Issue  |  Terms of Service